Como fazer planejamento patrimonial e sucessório

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Descubra como fazer o planejamento patrimonial e sucessório dos seus bens.

Muitos empreendedores têm vindo perguntar: 

Como assegurar bens de forma legal?

Uma das formas mais práticas e seguras é dada por meio da transferência dos bens, a partir do planejamento sucessório. 

Isso ocorre após a morte do titular dos bens. E qualquer pessoa pode realizar isso, de modo que protege o patrimônio e faz uma divisão ou partilha para que a família não entre em guerra. 

E o que é o planejamento patrimonial?

É a descrição, listagem e documentação de todos os patrimônios de uma pessoa, de forma que tanto seja possível fazer uma divisão equilibrada, quando necessária, quanto no sentido de prover uma análise geral de todo o capital proveniente desses bens.

O planejamento patrimonial também serve para quando o empreendedor deseja vender alguns de seus bens e imóveis. 

Ajudando assim a categorizar diversas informações, sejam em questões de máquinas, imóveis ou outros. 

E quais são as formas de se fazer um planejamento sucessório?

Existem alguns modelos, exemplos:

  • Por testamento.
  • Por holding familiar.
  • Por doações em vida.
  • Por previdência privada. 

Testamento para sucessão 

Nesse caso, o testador definirá como será feita a distribuição de seus bens, beneficiando tantos quanto desejar. O testamento pode ser feito de forma pública, com a ajuda de um contador especializado em planejamento patrimonial e em planejamento sucessório, bem como também pode ser feito em cartório. 

Holding familiar para planejamento patrimonial e sucessório

O contador pode também te ajudar por meio de uma holding familiar, onde todos os patrimônios da empresa serão resguardados por todos os membros do grupo familiar associados à holding.

A criação de uma holding facilita e muito na transferência de bens e reduz impostos, que, de outra forma, encareceria bastante! 

Doações em vida para planejamento sucessório

Esse é outro método a evitar ser cobrado por imposto ITCMD. Nesse sentido, é preciso que se faça uma doação, ainda em vida, para terceiros, usando uma quota máxima anual, que é definida pelo Estado, mas que não possui ou integra custos.

Portanto, a melhor forma de não perder o patrimônio é o doando como reserva de usufruto. Em outras palavras, isso é bom porque mesmo que você não seja mais o proprietário, ainda poderá usufruir do local como desejar. 

Enquanto você estiver vivo, o atual proprietário não pode deter dos direitos dele, a não ser quando você vir a falecer. 

Previdência privada como plano sucessório

Essa é outra medida que pode ser inserida. Ou seja, você contrata uma previdência privada, com um plano de Vida Gerador de Benefícios Livres (VGBL), e esses seus bens serão segurados sem longos processos. Nesse caso, os herdeiros recebem os bens automaticamente. 

Na maior parte dos casos, o imposto ITCDM também não é cobrado, no entanto, isso pode variar de região a região. 

Portanto, se você deseja fazer seu planejamento patrimonial e sucessório, é hora de entrar em contato conosc, para não ter prejuízos ou ter que pagar imposto altíssimo!Se quer saber mais como realizar essas transferências e validações, ficaremos felizes em poder lhe atender!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *